Perfil do Profissional

O Curso de Arqueologia Modalidade- Bacharelado, do Departamento de Arqueologia, tem como objetivos:

I. Geral:

Formar profissionais com o pensamento crítico e autônomo para realizar escolhas entre as várias perspectivas teórico-metodológicas que compõem a atuação do arqueólogo e que primem pela qualidade de seus trabalhos, pois eles subsidiam a tomada de decisões sobre o destino de recursos arqueológicos nacionais.

II. Específicos:

a) compreender os princípios gerais e fundamentos da arqueologia, familiarizando-se com técnicas contemporâneas e suas relações multidisciplinares;

b) identificar e buscar nos objetos a história daqueles que não se serviram de papel e lápis, pelo uso de instrumentos laboratoriais e computacionais científicos e tecnológicos em termos de conceitos, teorias e princípios científicos;

c) utilizar a linguagem científica na expressão de conceitos de arqueologia, na descrição de procedimentos de trabalhos científicos, e na divulgação de seus resultados;

d) propiciar o desenvolvimento da cidadania por meio do conhecimento, uso e produção histórica dos direitos e deveres do cidadão;

e) desenvolver a capacidade de solucionar problemas, liderar, tomar decisões e adaptar-se a novas situações;

f) desenvolver atividades técnicas especializadas na área de arqueologia, e,

g) discutir a realidade sócio-econômica para adotar uma postura crítica construtiva na prática profissional.

Como enfoque o bacharel em arqueologia deve ter sólida formação científica, tecnológica e profissional que o capacite a demonstrar habilidades para o desenvolvimento do pensamento lógico, domínio do conteúdo do pensamento arqueológico e habilidade para manusear, correlacionar dados e construir hipóteses explanatórias.

As competências e habilidades a serem adquiridas pelo arqueólogo, ao longo do desenvolvimento das atividades curriculares e complementares do curso, são, dentre outras:

I. Compreensão da natureza não renovável dos sítios arqueológicos e dos materiais neles encontrados;

II. Articulação da informação contida no material arqueológico a ter ciência do valor dos dados na interpretação e entendimento do comportamento humano;

III. Domínio das técnicas laboratoriais e computacionais concernentes à produção e aplicação do conhecimento arqueológico;

IV. Conhecimento da legislação sobre patrimônio cultural e sua aplicação;

V. Planejamento e realização de atividades de campo referentes à investigação arqueológica;

VI. Gerenciamento de pesquisa: orçamento, cronograma e organização de pessoal;

VII. Desenvolvimento da pesquisa, da produção do conhecimento e da sua difusão não só no âmbito acadêmico, mas também instituições de ensino, em museus, em órgãos de preservação de documentos e no desenvolvimento de políticas e projetos de gestão do patrimônio cultural, e,

VIII. Pensamento crítico e autônomo para realizar escolhas entre as várias perspectivas teóricas- metodológicas que compõem as atividades do arqueólogo.

Notícias